Notícias   



Parceria garante o acesso à água potável em regiões distantes em MT

Aumentar o texto: A- | A+
A Associação Mato-grossense dos Municípios e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) firmaram uma parceria para garantir o acesso à água potável em regiões desconectadas da rede de abastecimento. Desde o ano passado, um termo de cooperação técnica (nº007/2017) firmado entre as instituições para a realização de estudos geofísicos, tem contribuído para a locação e perfuração de poços artesianos em todas as regiões do estado. O objetivo é melhorar a qualidade de vida dos moradores dessas áreas e diminuir a ocorrência de doenças pelo consumo impróprio dos recursos hídricos.

De acordo com o presidente da Associação, Neurilan Fraga, a entidade já realizou outros trabalhos em conjunto com a Funasa para atender o interesse dos municípios. “A AMM possui colaboradores capacitados para auxiliar os municípios em diversas áreas, possibilitando a realização de parcerias com outros órgãos nas ações que visam o desenvolvimento do estado”, ressaltou.

O superintendente regional da Funasa, Francisco Holanildo, afirmou que a fundação não dispõe de quadro técnico suficiente para atender todas as demandas dos municípios e, por isso, buscou a parceria da entidade municipalista. “Reconhecemos que a AMM possui capacidade técnica e infraestrutura para desenvolver os estudos com foco no abastecimento de água potável para a população. Além disso, as duas instituições têm em comum a missão de apoiar os municípios”, completou.

A coordenadora da Central de Projetos, Ana Catarina de Souza, explicou que, além de realizar as pesquisas in loco e estudos com indicação para o local de perfuração, a equipe técnica da Associação também desenvolve o projeto de perfuração do poço e licenciamento ambiental junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente, necessários para a autorização de perfuração e outorga de direitos de uso dos recursos hídricos. “Conforme o previsto no convênio firmado, a Funasa disponibilizou para os geólogos da AMM o equipamento que mede a resistividade elétrica do solo, necessário para a coleta de dados nos municípios. Com isso, o trabalho desenvolvido pelos geólogos ganhou mais agilidade e precisão”, acrescentou.

No total, a Associação contabilizou 42 estudos geofísicos de solo, rocha e subsolo para fins de localizar aquíferos subterrâneos, realizados entre os meses de junho e dezembro de 2017. O trabalho já possibilitou à Fundação a perfuração de cerca de 30 poços até o momento.

“Sem o apoio da AMM, os municípios precisariam investir em média R$ 15 mil para a elaboração dos estudos e projetos para cada poço a ser perfurado. Isso significa uma economia de R$ 630 mil para as prefeituras de Mato Grosso apenas nos primeiros meses de convênio”, revelou a coordenadora.

A previsão é que na próxima semana a equipe retome as visitas para a realização de novos estudos. Conforme o plano de trabalho definido pela Funasa, estão agendadas pesquisas nos municípios de Pedra Preta, Rondonópolis, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Poxoréu, Feliz Natal e Chapada dos Guimarães. A expectativa do órgão federal é atender mais 60 localidades em 2018.

O termo de cooperação entre AMM e Funasa tem validade de dois anos, podendo ser prorrogado conforme demanda dos municípios.

Leia mais em:

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: www.folhamax.com.br  

 » Notícias Relacionadas

  12-07-2018 Lagoas de VV serão usadas para abastecimento de água em períodos de estiagem.
  11-07-2018 João Grandão solicita perfuração de poços artesianos na Aldeia Limão Verde.
  10-07-2018 Prefeitura de Lagoinha do Piauí realiza obra para regularizar o abastecimento d’água.
  10-07-2018 Nível dos reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul é pior dos últimos três anos.
  10-07-2018 Embasa informa interrupção no abastecimento de água no distrito de Humildes, em Feira de Santana.
  09-07-2018 Saltinho busca reduzir índice de perda de água com concessão do serviço à Sabesp.

 

Parceiros


Publicidade