Notícias   



Abastecimento de água em cidades de AL na seca deve custar R$ 2,3 milhões por mês

Aumentar o texto: A- | A+
Do total de 38 municípios que decretaram situação de emergência, 36 estão sendo abastecidos pela Operação Carro Pipa; Arapiraca e Palestina ainda estão credenciando pipeiros.

Dos 38 municípios de Alagoas que decretaram situação de emergência por causa da seca, 36 já estão sendo abastecidos por meio da Operação Carro Pipa. A informação foi confirmada ao G1 nesta quinta-feira (20) pelo Exército Brasileiro, que estima gastar R$ 2,3 milhões por mês com a operação, totalizando R$ 13,8 milhões em seis meses.

Apenas Arapiraca e Palestina ainda estão recebendo água por meio de viaturas do exército – o chamado abastecimento por meios orgânicos – porque o processo de credenciamento de pipeiros para essas cidades ainda está em andamento (veja a lista dos municípios em emergência ao final do texto).

Os decretos de emergência reconhecidos pelo governo federal têm duração de 180 dias, contados a partir da data da assinatura, que foi em 9 de agosto de 2018.

O assessor institucional do 59° Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), coronel José Marques, afirma que a operação consiste na coleta, transporte e distribuição de água com os caminhões-tanque nas cidades castigadas pela longa estiagem. Os pipeiros são credenciados.

“A expectativa é que 200 caminhões-pipa, por mês, levem água para essas localidades até janeiro”, explicou o coronel. Ele disse ainda que o cálculo é feito para que haja um mínimo de 20 litros de água para atender às necessidades de 130 mil pessoas diariamente.

Para evitar escassez ou desperdício, o estudo da quantidade de água para abastecer os municípios é feito mensalmente, já que as condições climáticas podem interferir na situação.

“Se chover bastante e os níveis dos reservatórios subirem, a operação poderá ser suspensa”, explicou o coronel José Marques.

Os municípios em situação de emergência são:
Água Branca;
Arapiraca;
Batalha;
Belo Monte;
Cacimbinhas;
Canapi;
Carneiros;
Craíbas;
Coité do Nóia;
Delmiro Gouveia;
Dois Riachos;
Estrela de Alagoas;
Girau do Ponciano;
Inhapi;
Igaci;
Jacaré dos Homens;
Jaramataia;
Lagoa da Canoa;
Major Izidoro;
Maravilha;
Mata Grande;
Minador do Negrão;
Monteirópolis;
Olho D’Água das Flores;
Olho D’Água do Casado;
Olivença;
Ouro Branco;
Palestina;
Palmeira dos Índios;
Pão de Açúcar;
Pariconha;
Piranhas;
Poço das Trincheiras;
Quebrangulo;
Santana do Ipanema;
São José da Tapera;
Senador Rui Palmeira;
Traipu.

Leia mais em: https://g1.globo.com/al/alagoas/noticia/2018/09/21/abastecimento-de-agua-em-cidades-de-al-na-seca-deve-custar-r-23-milhoes-por-mes.ghtml

 » Galeria de Fotos
 


Fonte: www.g1.globo.com  

 » Notícias Relacionadas

  10-10-2018 Estudo retrata pressão da mineração sobre áreas protegidas.
  09-10-2018 Obra na ETA irá duplicar capacidade de abastecimento de água.
  03-10-2018 Abastecimento de água em Goiânia não será afetado graças a gestão hídrica, diz Secima.
  26-09-2018 Samae pede ajuda da população para restabelecer abastecimento de água.
  21-09-2018 Estado realiza perfuração de poços em diversas regiões.
  21-09-2018 Militares brasileiros fazem perfuração de poços de água na Guiana.

 

Parceiros


Publicidade